dezembro 24, 2008

Sabem quem têm em casa?

O Nosso Jardim recebe hoje a sua primeira habitante: a Árvore de Natal.
Alguma vez se perguntaram porque levamos um pedaço da floresta para dentro de casa na altura do Natal? Porque a enfeitamos, porque a iluminamos, porque entregamos os nossos gestos de amor em forma de presente a uma árvore plantada no meio da sala?
À semelhança de tudo o que se passa sob este imenso céu terrestre, a árvore de natal não é fruto do acaso. Tão pouco dos delírios de um qualquer antepassado ambientalista numa luta solitária para salvar o planeta.
Na verdade a árvore de natal esconde uma riqueza simbólica que a sua simplicidade não deixa à primeira vista adivinhar e tem raízes muito mais longínquas do que o próprio Natal.
Inevitavelmente temos de falar do paganismo, conhecida que é a sua sintonia com os misteriosos ciclos da natureza e os cultos respeitosos que lhe eram prestados.
Na Roma antiga e para comemorar uma festa chamada de "Saturnália”, que coincidia com o nosso Natal, os romanos penduravam máscaras de Baco em pinheiros. Esta festividade era dedicada ao templo de Saturno e à mítica Idade de Ouro e celebrava-se todos os 17 de Dezembro, tendo sido progressivamente alargada à semana completa que terminava a 23 de Dezembro. Destinava-se a aplacar as forças da natureza que vagueavam pela Terra durante o Inverno de forma a abençoar as colheitas.
No dia mais curto do ano (solstício) os egípcios enfeitavam as suas casas com galhos verdes como símbolo de triunfo da vida sobre a morte e nas culturas célticas, os druidas tinham o costume de decorar velhos carvalhos com maças douradas para festividades também celebradas na mesma época do ano.

Numa versão mais tradicional da proveniência da árvore de Natal diz-se que foi Lutero, autor da reforma protestante, que fez a primeira árvore de natal. Numa noite de Inverno, depois de um passeio pelo bosque Lutero olhou para o céu através de um mar de pinheiros e as estrelas brilhavam de tal modo que pareciam um colar de diamantes a coroar a cabeça das árvores. Avassalado com a beleza da imagem arrancou um galho e levou-o para casa onde o plantou num vaso e o enfeitou com pequenas velas acesas e uma estrela no topo, procurando recriar o que havia visto. E assim nasceu a árvore de Natal.

Não saberemos se a árvore de Natal remonta às lendárias celebrações pagãs, geralmente acompanhadas de vinho, orgias e, naturalmente, visões, ou se é o produto da epifania de um protestante em hipotermia, mas a tradição sobreviveu e hoje Natal, não é Natal sem uma árvore.

Pessoalmente, e explicações lógicas à parte, olho para o meu pinheiro de Natal todo enfeitado e vejo um herói em forma de árvore.
O pinheiro suporta as agruras do Inverno, sobrevive exibindo o seu esplendor, mesmos sobrecarregado com o peso de neve. É um símbolo de vida que pulsa mesmo sob condições adversas. Que cresce, que continua a sua ascensão rumo ao céu quando a maior parte da floresta morre ou dorme.
Olho para o meu pinheiro ali todo luminoso e reconheço na sua forma triangular a Divina Trindade, de que tudo é composto e lembro-me que a vida é um presente…


Árvore de Natal Cabalística

Para os atentos aos sinais, aos rituais e outras manias espirituais, ficam estas dicas:
Tipo de Árvore: um pinheiro porque esta árvore simboliza a Era iluminada de Aquário.
Localização da Árvore: no centro da sala ou no leste, onde o Sol nasce.
Como Enfeitar a Árvore: Sempre de cima para baixo, respeitando as forças descendentes do Espírito Divino que vêm para nos abençoar aqui no plano físico.
No Topo da Árvore: Um estrela dourada que representa nossa Estrela Interior, que nos conduz na peregrinação da vida, é o nosso Espírito Divino que precisa nascer em nossa Consciência (o topo de nossa Alma é a Consciência).
Os Enfeites: Os enfeites simbolizam as virtudes e as forças espirituais que devem triunfar dentro de nossas Almas, e também dentro da casa onde está a Árvore de Natal.

1. Os 3 Sininhos: Simbolizam a Santíssima Trindade, as três Forças Primárias do Cosmos;

2. Os 7 Anjinhos: Representam os 7 Espíritos Angélicos Santificados, que estão diante de Deus intercedendo por todos nós;

3. As 12 Bolinhas: Podem ser mais, obviamente, mas as maiores devem ser ao todo 12, e este número representa as 12 Leis Crísticas, os 12 Salvadores e os 12 Cavaleiros da Távola Redonda, que nos protegem de todo o mal para algum dia encontrarmos as 12 Verdades de Cristo;

4. As 7 Bengalinhas: Simbolizam as 7 Kundalinis que devemos trabalhar para algum dia encarnarmos nosso Poderes que Divinizam;

5. Os Enfeites: Ao pé da Árvore de Natal representam todas as virtudes que queremos alcançar em nossa vida espiritual; podem ser pequenas caixinhas vazias, elas representam essas virtudes e podem ser de cores variadas.

6. A Vela Quadrada de Cor Amarela: Deve ser posta na base da Árvore ou próxima a ela, porém com segurança total. E na noite de Natal, se possível, acendê-la para que toda a simbologia natalina se transforme num carregador de energia astral altamente energizado.

7. Recipiente com Água: Deve ser posto do lado oposto da vela acesa, pode ser uma pequena jarra com água, dando-se assim a reunião dos 4 elementos.

Que tal? Que a Vossa árvore seja o espelho da Vossa Alma: viva, iluminada e adornada de beleza.

A todos FELIZ, FELIZ Natal

3 comentários:

Shin_Tau disse...

Fiquei maravilhada com tanta prenda num único texto. Sempre senti que a árvore de Natal era importante mas nunca lhe prestei demais atenção. Na noite de natal fiquei esclarecida e acredita que passarei a decorar as minhas futuras árvores com estas dicas maravilhosas.
Adorei estas frases:
"Pessoalmente, e explicações lógicas à parte, olho para o meu pinheiro de Natal todo enfeitado e vejo um herói em forma de árvore.
O pinheiro suporta as agruras do Inverno, sobrevive exibindo o seu esplendor, mesmos sobrecarregado com o peso de neve."

Obrigada pela tua existência e pelas tuas palavras, sempre sábias

Que as forças da Natureza te sejam sempre generosas

Viajante disse...

Olá IdoMind

Desde sempre tive a percepção que a arvore de Natal tinha origem druidica, contudo hoje aprendi todo o simbolismo que está por detrás das decorações.
Fiquei tambem a saber que esta saudação à natureza já se faz à muitos milénios por muitos grupos humanos que não esqueceram a nossa relação simbiotica com a natureza, que nós enquanto civilização tecnologica já esquecemos.

Obrigada pelas sementes maravilhosas que depositou no meu coração.
Desejo que o proximo ano seja um bom ano para si repleto de amor e felicidade

Saudações

O Viajante

brizida disse...

Não volto a olhar pra arvore de natal da mm forma isso é certo...
eu sou muito tenrinho em toda esta temática... falha minha...
Obrigado pela abertura duma porta que não mais se fechará...

Ido, mind 4 sure!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...