dezembro 22, 2009

Passo Um


Lá, onde dói, é onde devo de ir para ver e arrancar a lança da minha angústia. São os meus “nem pensar” que devo repensar em nome da vida que quero para mim. É a minha felicidade submersa que o exige. Tenho a sensação de a procurar no escuro de luz apagada. Porque eu gosto dos caminhos difíceis. Aqueles mais compridos que dão a volta e me trazem ao mesmo lugar. Que me cansam até deixar de perceber a diferença entre viver e apenas respirar. Se não gostasse, há muito teria acendido a lâmpada que trago nas mãos. Mas nem pensar em iluminar certos espaços. Porquê? Porque dói revelar as fendas, as fugas e as falhas da minha casa, afinal, imperfeita.

Certas coisas e palavras que nem pensar em fazer ou dizer. Algumas pessoas a quem nem pensar em pedir o que quer que seja. Mesmo que precise muito. Desculpas e obrigados que nunca atravessaram a barreira entre a cabeça e os lábios porque nem pensar em proferi-los. Dúvidas que nem pensar em esclarecer. Fraquezas que nem pensar em mostrar que tenho. A fragilidade de mulher que nem pensar em admitir. Estes sentimentos agarrados à minha humanidade que nem pensar em partilhar...

Lá, onde dói, é para onde me dirijo porque Tudo o que há sou Eu e Eu sou Tudo o que há. A faca que fere e o golpe que sangra. As costas e o chicote. No fim temo-me apenas a mim mesma.

Eu sou a que se vê a ser também o que não é e que decide Mudar. A que se silencia para se ouvir. Quieta para sentir de onde vem a dor. Reconhecê-la. E depois… apagar o “nem pensar” e escrever “porque não?”.
IdoMind
About being painfully honest

9 comentários:

Viajante disse...

Olá IdoMind

Intenso e muito verdadeiro.
A clarividência dos teus conceitos tem de ser o teu farol no caminho que escolheste. Deixa que a luz te ilumine para que possas com a tua beleza, qual alquimista, transmutar as pedras em rosas e a dor em amor, a solidão em compreensão do teu eu interior.
Nunca mais, "nunca mais".

Beijos

O Viajante

Siala ap Maeve disse...

Ido...como eu te entendo...estes nossos processos são tudo menos simples não é? Crescer doi muito...mas como tu tão bem dizes...porque não?
Beijos de luz

Shin Tau disse...

Olha minha irmã, relembro o que alguém sábio me disse que tinha lido algures:

"Doer, dói a todos, mas só alguns escolhem sofrer com a dor" Assim seja. Aceitar a dor, mexer na dor, trazer a dor à luz, mas não sofrer com ela!

Difícil, talvez, mas não impossível!

Estou contigo em cada linha que escreveste! Dói tanto!!!!

Amo-te meu doce

Siala ap Maeve disse...

Minha querida, deixo-te os mesmos desejos que deixei á tua mana...Amor, Paz, Saúde, Magia, Crescimento, Aprendizado, Sabedoria, Discernimento, Serenidade, Alegria, e muita, muita Luz!!!!
Feliz Natal e que 2010 seja um ano repleto de tudo isto!
Beijos enormes!

Reyel Angel disse...

Nossa, a Shin Tau falou algo acima que estou a aprender, poucos, muito poucos compreendem essa verdade: "Doer, dói a todos, mas só alguns escolhem sofrer com a dor"

Amiga querida, espero que tenhas tido um Natal feliz, e que possas ter um Ano Novo repleto de coisas boas! Muita paz, harmonia e luz no seu coração. Ficarei off até dia primeiro. Bjos na alma!

Maria de Fátima disse...

Olá Maria, é na dor que aprendemos a ser felizes.Minha querida desejo-te um excelente ano de 2010 com saúde, paz, amor e felicidade.Beijocas grandes.

adriana disse...

Querida,
Que o seu 2010 se expresse em Alegria!
beijo no Cuore

Hod disse...

Olá Maria,,, percebo que esse reflexo espelha a dor que vai ser esquecida quando superamos tais adversidades.

Aprovei para te de desejar desde hoje dia 1º de Jan um excelenete ano...Que 2010 seja repleto de alegrias e muitas realizados sonhadas em 2009.

Forte abraço, com muitas bençãos... Alôha...!

Hod.

黃立行Stanley disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...