outubro 01, 2009

Desculpa

Desculpa pelos atalhos por onde me perdi. E desculpa ter ficado por lá tanto tempo. Precisava de castigar-me. É assim que pago as falhas a que não me permito, até ao fim. Até se tornar difícil olhar para mim. E descobrir que basta olhar para ti…

Desculpa também por isso. Por todas as vezes que finjo que não te vejo. Pelas outras em que fecho os olhos e ando às escuras porque não quero que me vejas. É por vergonha e é por medo das escolhas que faço e das que deixo por fazer.


Perdoa-me, por favor, por te ver à minha imagem. Por ainda pensar que me julgas. Desculpa pelos espelhos que não parto para que te vejas resplandecente em mim.

Desculpa…

Por me separar de ti. Por arrancar os fios inquebráveis que nos unem e carregar sozinha o meu próprio peso. Tão vergada que não consigo ver o céu. Transporto na alma a culpa da imperfeição. Dos erros vestidos de pecado por este esquecimento necessário e consentido. Desculpa por me esquecer que não posso errar. Nem pecar. Desculpa por nem sempre me lembrar que em tudo há um bocado de ti a chamar por mim.


Ainda ontem não sabia que estavas aqui, ao alcance de uma prece. De um desabafo sincero. De um pedido secreto feito de joelhos no chão de um quarto. De um agradecimento iluminado. Ainda ontem eu era o centro do mundo.

Desculpa por acordar tão tarde. O sol já vai tão alto e na minha casa reina a escuridão. Desculpa por nos obrigar à espera do despertar glorioso que me resgata da mentira. Desculpa por ainda adormecer tantas vezes…

É este querer nascer antes do tempo sem perceber que já sou. Que sempre fui, que nunca vou deixar de ser. Somos a Estrela e o Firmamento abraçados um ao outro. Existimos desde o tempo em que não havia tempo. Cruzamos juntos o infinito a brincar às vidas numa jornada sagrada. Desculpa por querer parar. Desculpa os intervalos em que me sento a respirar…

Esta viagem arredondada do espírito pode cansar. E dá vertigens. Preciso só de um bocado para me libertar dos fardos que fui recolhendo. Tirar os sapatos e sentir-Te na minha estrada feita de nuvens. Preciso de descansar um pouco o corpo que acusa fadiga. Repousar a cabeça para deixar espaço que a tua sabedoria de novo me fale do Amor que é tudo o que sou.
Entretanto, desculpa…
IdoMind
about accepting

10 comentários:

Viajante disse...

Olá IdoMind

Como não sou capaz de passar ao papel a miriade de sensações que senti ao ler o teu escrito, apesar de correr o risco de cair num lugar comum vou ainda meio encandeado pela luz dizer a única palavra que me ocorre: MARAVILHOSO

Beijos

O Viajante

Reyel disse...

Querida, pode ter ter certeza de estás desculpada. Uma prece assim fecunda jamais fica sem resposta.
Bendita sejas!

Shin Tau disse...

Antes de mais obrigada Viajante por me teres alertado para este texto :)

A ti minha mana querida, desculpas aceites rkrkrkrkrkrk brincadeirinha!

Estou a brincar para ver se não me derramo em lágrimas, pois foste um espelho hoje do que tenho sentido ultimamente.

PReciso mesmo de parar!Obrigada por tudo!

beijos

IdoMind disse...

Viajante,

Meu querido, querido amigo. Como disse na entrevista ao António, tu foste o primeiro a fazer com isto hoje seja possivel.O meu coração até canta por não teres desistido de uma IdoMind tractor, agora tão suavezinha que nem chega a smart : )
Gosto muito muito de ti
Beiiijo

IdoMind disse...

Reyel

O meu problema é quando esqueço que ele nunca me deixa. Nunca me exige. E nunca, nunca me castiga. Que esse trabalho sou eu que o faço...

Um beijo querida Reyel

IdoMind disse...

Shin

também devia ter escrito:

"Desculpa pela água que prendo nos olhos e me afoga o coração.
Desculpa pela parede de gelo que ergo, tão frágil, que me divide daquela que não quero ser.
Desculpa por ser uma croma!!!

Amo-te e chora para aí mana
Nestes momentos não há como calar a alma portanto deixa-a falar.E aguenta-te

Já falamos que a seguir vou chatear-te
Beijos beijos beijos para a irmã mais linda do universo!

p.s. Não estás grávida, não?De trigémios?

Shin Tau disse...

IdoMind

mana incansável, antes fosse como dessa vez! Não, não estou grávida, mas parece mesmo!!! Só que desta vez é penoso, a última foi bem melhor!!!

As transformações são assim, nunca tinha sido desta forma, mas olha...é o que é!!!

Obrigada por tudo, mais uma vez!!!!

O que o teu texto já provocou em mim!!!! Porém, continuo no casulo!

:***

Eu Sou Você disse...

Silêncio

António Rosa disse...

Olá, bom dia

Tem uma montra de selos para escolher no Cova do Urso.

Obrigado.

Uma boa semana. :)))

Reyel disse...

Querida IdoMind, tem indicação de selinho para vc no SPA! Ofereço com muito carinho, mas fica à vontade p aceitar ou não, ok? Te gosto muito...
Bênçãos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...