fevereiro 05, 2011

Live and let live

Eu espero. Tu esperas. Todos esperamos. Quase sempre sem muito alcançar. Apenas desesperando. Azedando. Arrancando do coração, com mágoa, as pessoas-ideia que plantámos na cabeça. Porque é que têm de ser tão reais? Com defeitos e isso. Com problemas que lhes vão furtando a paciência que lhes exigimos que tenham. O tempo todo. Com patrões cegos e ordens parvas que se cumprem porque é assim que tem de ser. Mastiga-se a raiva e ingere-se a dose de veneno diária. Sem perder a compostura. A aflição que é mantermo-nos compostos com as veias envenenadas. Mas como a pessoa-ideia está sempre bem-disposta, um bom-dia menos caloroso é inaceitável. Não pelo menos sem as perguntas que não apetecem resposta ou a retaliação que não encontra força para o embate. Já não se termina o pequeno-almoço…

As pessoas-ideia às vezes só precisam do seu tempo. E da nossa compreensão. Só isso.


E nós precisamos de não as imaginar mas sim de conhecê-las. De tapar com tolerância as fendas abertas pela decepção de descobrirmos ao nosso lado alguém que apenas é de carne e osso. Não voa. Não lê pensamentos. Não é feito de ferro ou outra matéria indestrutível. Carne e osso. Onde podemos infligir golpes e abrir feridas.
Nós sim, temos poder quando somos importantes para as pessoas-ideia. Tanto que elas até pensam em mudar-se por nós. É assim que algumas personalidades se escondem nas sombras. Amordaçadas, obscurecendo gradativamente. Até ao dia em que fazem o que não era esperado…

Ninguém nos pode desiludir porque ninguém nos pode iludir. Essa é a ilusão. A verdade é que nós fazemos isso tudo sozinhos. Vemos o que queremos ver. Às vezes, o que conseguimos, porque ainda estamos a aprender muito acerca de nós. São as quedas do muro que nos levam para o outro lado. À travessia dos nossos limites. Se quisermos. Se não temermos continuar e ir uns metros mais além de quem pensamos que somos. Espreitar o que por lá anda. Ter a ousadia de vestir uns padrões diferentes para a etapa que se segue.Ou aspirar à santidade e seguir nú.

Hoje, olho para ti e tento Ver-te.
Também quero que me Vejas. Anda cá e senta-te: "esta sou eu". 
Nem sempre fui assim. E também não é assim que vou morrer. Conta comigo para estar contigo até ambos sentirmos que somos melhores juntos que sozinhos. Ou com outro alguém. Até sentires que a vida é mais gira comigo por perto. Até te sentires grande e feliz. A tocar as nuvens de tão alto. Não te quero pessoa-ideia. Quero-te a ti. Por isso apenas espero que te sejas fiel. A ti. Sempre a ti. Estarás a deixar-me Ver-te. A escolher dar-te a mão ou um abraço de despedida.

De mim podes esperar a mesma liberdade para te conheceres a ti mesmo que eu espero que me concedam para me conhecer.
Sem culpa. Sem vergonha. Sem medo.
Liberdade para Ser, sendo, nem sempre o que se espera mas o que É. 
IdoMind
about cutting the strings

11 comentários:

Onda Encantada disse...

Wow!!!

Reflete o que ontem deixei escrito,
não por palavras minhas
mas que aqui reflito...

Ama-me por amor somente.

Não digas: "Amo-a pelo seu olhar,

o seu sorriso, o modo de falar

honesto e brando. Amo-a porque se sente

minh'alma em comunhão constantemente

com a sua".



Porque pode mudar

isso tudo, em si mesmo, ao perpassar

do tempo, ou para ti unicamente.



Nem me ames pelo pranto que a bondade

de tuas mãos enxuga, pois se em mim

secar, por teu conforto, esta vontade

de chorar, teu amor pode ter fim!

Ama-me por amor do amor, e assim

me hás de querer por toda a eternidade.



" Ama-me por Amor somente ", Madre Teresa de Calcutá

Rosa Araújo disse...

Muito bonito o seu jardim!

Adorei espreitar por trás do pano, percorrer o caminho das rosas e sentada debaixo de um cogumelo ler as suas inspiradas palavras!!

1 beijinho

IdoMind disse...

Onda...

É mesmo mesmo mesmo isso.
Amar Somente.

Agora dava-te um abraço!

IdoMind disse...

Rosa

Que surpresa tão boa!
São os cogumelos que me inspiram ;)

Um beijinho e muito muito obrigado pela visita

Marcia Toito disse...

uau!!!!!!!!!!!! chorei!

M.i... disse...

Porque será que fico com a ideia de que este é um texto de ti para ti?
Que seria algo que se pensaria frente ao espelho da vida, balançando no fio da navalha, sem cair para qualquer dos lados mas ferindo-se a cada movimento...
Ou, serei eu?
Porquê tanto enigma? meu e teu?
bom domingo, ontem passei frente á tua deslumbrante vista!
Beijinho, M.

Roberta Maia disse...

Que texto lindo!!!
Amei seu Blog...vermelho intenso e espiritual!!

Beijinhos...
Muita LUZ!!!

IdoMind disse...

Márcia

É bom ter presente que também fazemos chorar...
Nesta vida procuro caminhar com maior consciência possível e ainda assim, vê só - fiz você chorar!! ;)

Um grande beijo

IdoMind disse...

M.I

Certíssimo...
Este texto foi de mim para mim.

Os cortes vão sendo cada vez menos porque me oiço cada vez mais...

Quanto aos enigmas para mim só há um:estiveste cá e não disseste nada?! lol

beijos e obrigado pelo comentário muito...revelador ;)

IdoMind disse...

Olá Roberta!

Adoro visitas no Jardim e quando assim, alegres, ainda mais!

Obrigado e o seu cão é o máximo!! :)
beijinhos

Marcia Toito disse...

nem sempre a lágrima que cai é de tristeza. Cai pq transborda uma emoção contida há tempos!
O presente que me deu fou repassado
com o mesmo carinho e que foi recebido. Mas uma vez agradeço e continue florescendo seu jardi. Posso daqui sentir o perfume!
bj

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...