setembro 09, 2009

Dormir aqui e amanhecer em outro lugar

Graças ao António escrevi uma carta de amor. Nem sequer sabia que tinha aquilo dentro de mim para transformar em palavras.Fiquei rendida à iniciativa.
Esta será a segunda vez que participo no Vou de Colectivo e tal como da primeira, com um prazer enorme. Obrigada por nos permitires exercitar a fantasia.



Dormir aqui e amanhecer em outro lugar:


"Dia 1
Que frio! Meu Deus, que frio! Parece que fui deixada nua em pleno deserto antárctico. Alguém por favor me ponha uma trapinho em cima, qualquer coisa que faça o meu sangue circular de novo.

E tu? Quem és tu? Senhora, desculpe, quem é você? Não! Deixe-me! Chegue-se para lá.Não me aperte se faz favor! Quero ir para casa! Deixe-me, já lhe disse!
Mas ninguém me ouve? Estarei a falar chinês?
Não entendo porque me ignoram. O que me aconteceu?
Será uma partida do meu filho mais velho? É bom rapaz mas às vezes não sabe quando parar.Se foi ele me me pôs aqui vai ter que ter muito cuidadinho com o carro novo…

Respira. Vá, respira. Tenta lembrar-te da última coisa que fizeste.
Estava a tomar banho quando a água quente faltou.Enrolei-me no roupão já gasto do meu marido mas que, talvez devido ao uso e por muitas lavagens que tenha, preserva o cheiro daquele que foi o amor da minha vida. Às vezes tomo banho só para vestir o roupão e ficar ali perdida naquele emaranhado de 50% algodão, 50% polyester a lembrar-me dos anos de felicidade que vivi junto dele. Vê-lo partir foi o começo da minha espera. Todos os dias que passam são menos um para reencontrar o resto da minha alma. Desde então, toda a dor passou a ser tolerável.

Desci as escadas e telefonei ao Sr. Graciano para que me trouxesse uma bilha de gás. O gás canalizado nunca subiu o monte onde plantámos o nosso ninho. Viver no campo tem destas contingências. Mas também tem Senhores Gracianos, por isso, nunca nada é absolutamente bom ou mau.
Enquanto esperava fiz um chá e sentei-me no pátio. Está lindo o meu pátio, colorido pelas túlipas que me relembram sempre toda a beleza sabiamente distribuída pelo mundo fora. Este pedaço da Holanda no meu jardim já me fez chorar de emoção diante da sua simplicidade celeste. Quem terá feito as túlipas? E as nuvens brancas que parecem dizer que estão lá para amortecer a nossa queda.O céu. Quem se lembraria de um tecto mais perfeito?
Lembro-me de estar nestas divagações quando a campainha tocou.Fui atender.


Depois há um enorme vazio na minha cabeça. Não me lembro de mais nada. Quando voltei a mim estava neste sítio, com estas pessoas que não conheço.

Estou cansada. Vou dormir talvez acorde e perceba que estou a viver um pesadelo muito real.

Dia 2
Não resultou. Continuo presa aqui. Estou pesada, não me consigo movimentar com liberdade. Custa tanto. Vou voltar a dormir.

Noite do dia 2
Acordei encharcada num liquido qualquer. Arde. Ajudem-me! Senhora, por favor ajude-me!
Obrigada. Já estou melhor mas agora não consigo adormecer. Que saudades do meu monte. Da minha estufa. Será que os meus rapazes estão a tratar das plantas. As orquídeas não se vão aguentar sem ouvir Anthony and the Jonhsons. Espero que se lembrem de ligar a música para elas. Que sono…



Terceiro mês
Continuo sem perceber o que me está a acontecer. Noto que as minhas memórias estão a enfraquecer. Há detalhes que já não me lembro. Tentei por exemplo visualizar a vila e as pessoas mas não consegui. Lembro-me apenas da igreja onde passei várias horas a tentar compreender porque Deus achou que precisava mais do meu José do que eu. Lembro-me também do padre. Jovem e com ar bondoso. Fala-se de um romance entre o querido pároco e a filha mais nova da padeira. Também me pergunto porque não pode um homem de Deus ter sexo. Será o sexo pecado? Então não alcanço qualquer motivo para o Criador de Tudo nos ter feito capazes de ter sexo mesmo quando não podemos procriar.E acima de tudo, porque fez o sexo tão bom.Há muitos mistérios que gostaria de ver respondidos, mas com a minha forma de pensar parece-me que vou obter as minhas respostas no Inferno…É melhor tentar dormir.Curioso, durmo cada vez menos.

Décimo mês
Toda a gente gosta de mim. Continuam a ignorar a minha vontade mas dão-me muitos carinhos e parecem ficar rejubilantes cada vez que dou uma gargalha na cara deles.Gostam de me ver feliz. Para começar podiam dar-me outro tipo de comida, conforme já estou farta de pedir…Ainda não consigo dominar a língua indígena.


Primeiro ano da minha estranha experiência de sequestro
Hei! Ninguém vai atender? Estão a bater à porta.
Não acredito! Não acredito!Pai! É o meu Pai! Mas…não entendo, está ao colo de alguém.
Espera aí…Eu também! Tenho pouco mais de meio metro!

Agora lembro-me! Lembro-me de tudo!
Quando fui atender a porta naquele dia há muito tempo atrás, não foi o Senhor Graciano que me levou a bilha do gás. Foi um rapaz. Lindo! Moreno, olhos grandes, negros salpicados de pintas cor de mel. Se tivesse uma oficina ele seria o rapaz do calendário.Acho que o meu coração finalmente cedeu perante a visão do menino da bilha do gás.
Lembro-me de fechar os olhos e sentir-me a voar.Um leve aperto no peito seguido de uma sensação de grande liberdade.
Eu morri…
Isto muda tudo.
Morrer é afinal apenas um leve adormecer e acordar. A vida num piscar mágico de olhos.
Gostava de me lembrar disso da próxima vez que adormecer para uma vida. E de todas as vezes que vir outros a adormecer. Na verdade estarão só a acordar. Para outra vida. Para outra aventura. Para a uma nova e magnifica oportunidade de se recriarem.
Como esta que agora tenho. O meu pai está cá. Será que o José também?"

IdoMind
about awakenings

19 comentários:

Shin Tau disse...

Atrevo-me a dizer que esta é a melhor participação nesta blogagem colectiva.

Parabéns! Está melhor que a minha e tudo!! rkrkrkrkrkrk

Adorei o forma enigmática com que contas a aventura, os pormenores oferecidos da vida anterior e a simplicidade de um novo recomeço. O Juízo Final inspirou-te!!!

Amei!!! Beijcoas

IdoMind disse...

Não estás a dizer isso por seres minha irmã e minha única herdeira pois não? lol lol

Obrigada mana. Gostei tanto, tanto, tanto de escrever isto. Enquanto escrevia (sem parar) ria sozinha para o monitor. Deu-me mesmo prazer.Fico feliz por teres tido também prazer a ler.

Não está melhor que a tua, está IdoMind e a tua está Shin - ambas perfeitas.

Amo-te

Shin Tau disse...

Não, não estou a dizê-lo por ser tua irmã!!!!

Olha, quando digo que é melhor que a minha significa que gostei mais da tua, por isso, para mim, está melhor!!! é a melhor de todas as histórias que li, há algumas participações que não são histórias, são coisas reais!!!

A tua acho que é ficção, ou não é? rkrkrkrrk

:***

IdoMind disse...

lol lol Num monte? Sem gas canalizado? Claro que só pode ser ficção, senão não tinha morrido, tinha-me matado! Brincadeirinha...

Beijos

Viajante disse...

Olá Idomind

Olha que história tão catita. Só podia vir duma das irmãs catita.
Mas olha não me enganaste assim que li a primeira linha fiquei logo a saber o que tinha acontecido à protagonista

Gostei imenso

Beijos

O Viajante

IdoMind disse...

Viajante,

O espertinho!!! lol lol
Olha lá e que tal participares.Depois do teu contributo no Grimoire ( que eu continuei) acho que era muito interessante participares neste vou de colectivo. Só uma ideia..

Beijos meu amigo

Viajante disse...

ó piquena liga o msn só para experimentar

O viajante

Maria de Fátima disse...

Olá IdoMind, parabéns, esta história está fantástica.Beijocas.

Viajante disse...

Olá IdoMind

Quanto à participação vai ser dificil porque me falta a inspiração. Se entretanto surgir eu tento. Claro que ficarei na penumbra para não dizer da sombras dos dois astros que se elevam firmemente na blogosfera

Beijinhos

O Viajante

Eu Sou Você disse...

Querida,
Parabéns!
É de uma alminha que já foi e voltou várias vezes.
:)))

IdoMind disse...

Doce Fátima

Obrigada. Deu-me um imenso gozo escrever esta história.Tu que andas pelos caminhos de Portugal, não gostarias e inventar uma e participar? Que dizes? também pode ser com fotos, não tem de ser texto por exemplo...Pensa nisso

Beijocas

IdoMind disse...

Viajante

UAAAAUUUUU! "...ficarei na penumbra para não dizer da sombras dos dois astros que se elevam firmemente na blogosfera" - I rest my case
Tens de escrever!

IdoMind disse...

Adriana,

Já fiz tantas viajens e ainda não aprendi nada! Lol
Obrigada suave Adriana pela paz que deixas neste jardim sempre que aparecer. Adoro...

beijo

angela disse...

Muito especial sua participação. O texto está lindo, bem escrito, mantem o suspense, mesmo que de para ir entrevendo o final, a atenção fica pesa. A leitura é muito agradavel. Acho que sua irmã tem razão. No minimo está entre as melhores.
beijos

Siala ap Maeve disse...

Idomind, está simplesmente fabuloso este teu conto!! O melhor que leio já há muito tempo e que mais me prendeu :) Surrealista...sempre adorei a escrita surrealista que nos arranca da monotonia e lança num turbilhão de novas sensações. Obrigada!
Bjo de luz

IdoMind disse...

Angela,

Obrigado. Não acho, isto é sincero, que seja assim tão bom mas valeu pelo imeeenso prazer que me deu escrevê-lo.
Também fui ler a sua participação, Adorei. Vi-me bem ali, uma mulher depois do trabalho a tentar encontrar uns momentos para si.

beijinhos

IdoMind disse...

Siala,

que surpresa boa...Estou cheia de alegria por ter vindo iluminar o meu Jardim.

Leio os seus comentários no Grimoire e fico sempre a pensar "esta Siala é muito interessante, sabe o que diz.."

Obrigado pelas palavras demasiado gentis. É só um bocadinho da IdoMind fantasiosa que aproveitei para participar no Vou de Colectivo.
beijinhos

Susana Garcia disse...

gostei deste texto original da blogagem e gostei também de outros textos que vi por aqui escritos neste blogue.
beijinhos

António Rosa disse...

IdoMind

Com um atraso respeitável, adorei ler. És mesmo uma contadora de pensamentos e ideias. Lindo. Façamos, então, essas viagens. Beijo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...