março 26, 2010

"Está difícil fingir que está fácil"

Esqueci-me de onde vim. Do meu propósito. Dos que comigo aqui vieram para relembrar. Esqueci-me dos empurrões que combinei. Dos corações partidos que agendei. E daquelas palavras difíceis, tão duras de ouvir, que escrevi e dei a decorar. As lágrimas, grossas, que me aproximam da compreensão dos meus defeitos. Dos sonhos que julgo que são meus. E que afinal vêm de outro lugar. Daquele poço no meio do estômago onde o ego e o anjo se encontram à espera da digestão.

Sinto o corpo dorido das brincadeiras que planeei contigo, sentados lá, no nosso sítio na eternidade. Não me lembro quantos pontos valem as decepções. Quantas casas avançamos por cada “desculpa” que não dissermos. Para que nível passamos se conseguirmos travar a tempo aquele beijo. Se vence quem sofrer mais. Quem se camuflar mais. Quem for forte até fim e resistir à força maior que parece trazer-nos uma e outra vez ao Encontro. Não sei se é mesmo assim que deve ser, aguentar de pé amparados pelo orgulho, solitário, de não dar o braço a torcer. Não me lembro. E levo-nos a sério… E dói a sério. Como se fosse possível estar separada de ti.

Devem os meus braços estender-se mais uma vez, apalpando às escuras a tua presença ausente? É tão alto o teu castelo. E como são imponentes as minhas muralhas. Sei que estamos exaustos do Combate. Das perdas que ainda cá estão, por detrás dos gestos pensados. Dos passos cautelosos e lentos de adultos e bons alunos. Caem muito as crianças. Mas depressa voltam a correr como imortais.


Achas que podemos reinventar as regras?
Achas que podemos começar de novo? Todos os dias. Todos os minutos. Estabelecer uma nova meta chamada " Nós".

Podíamos começar assim: antes de qualquer jogada, sentarmo-nos uns instantes, três segundos que sejam já serão suficientes expirar a poluição alojada nos pulmões. Que nos contamina e adoece a alma. Inspirar então de olhos fechados percebendo que no relógio da existência temos a duração de uma borboleta. E o mesmo processo de transformação.
Obrigado por todos os rasgos que desferiste no meu casulo.
Fico a dever-te as minhas asas…
Obrigado por também te esqueceres que tu és eu a tentar chegar a casa. E eu sou tu a tentar lembrar-me do caminho.
Tu e eu… nos intervalos da verdade a brincar aos faz de conta.
Tu e eu a achar que isso existe para nos descobrirmos o mesmo sopro de Deus. O mesmo sangue. A mesma carne. A mesma alma. O mesmo destino - AMAR.

Em nome do amor vou fazer por me lembrar o quanto te amo.Todos os dias.Todos os minutos.Agora.De novo...
IdoMind

about doing it better

12 comentários:

Silvia Freedom disse...

Caríssima I Do Mind ...

A-mei a sensibilidade e criatividade bem, muito bem redigida....
"Obrigado por todos os rasgos que desferiste no meu casulo.
Fico a dever-te as minhas asas…
Obrigado por também te esqueceres que tu és eu a tentar chegar a casa. E eu sou tu a tentar lembrar-me do caminho.
Tu e eu… nos intervalos da verdade a brincar aos faz de conta.
Tu e eu a achar que isso existe para nos descobrirmos o mesmo sopro de Deus. O mesmo sangue. A mesma carne. A mesma alma. O mesmo destino - AMAR.

Em nome do amor vou fazer por me lembrar o quanto te amo.Todos os dias.Todos os minutos.Agora.De novo..."

Yes, I Do! Yes We can!

Viajante disse...

Olá IdoMim

E quando nós pensamos que já nada nos pode surpreender eis que tu, minha amiga, reinventas a existência, expandindo o teu mundo dando-lhe uma dimensão universal. Não eras tua a escrever éramos todos nós os que partilhamos a dimensão do amor.
Uma palavra apenas, transcendental.

Beijos

O viajante

Viajante disse...

Peço desculpa pelo meu erro IdoMind

Eu Sou Você disse...

Querida,

Esquecer para lembrar...
Lembrar de esquecer...

Está difícil mas é cada vez melhor.

Alongamento de Consciência... a tocar estrelas... reflexos de Nós mesmos.

E lá chegamos.
No Cuore.

Shin Tau disse...

Bom....

só te posso dizer que este é o mais lindo pedido de desculpa que alguma vez li :) por que simplesmente vem do Coração, ajudado pela mente fértil a co-criar as emoções :)

Lindo minha irmã, que todos que ai estamos aprendamos ou relembremos como é fácil corrigir, emendar e seguir em frente!

Esta semana a Morte, venham então as asas para completar a transformação!

Besus

IdoMind disse...

SÍlvia (lindo, lindo nome) ;)

Obrigado...este post saiu-me mesmo cá de dentro. Eu sei que é assim. Apesar disso todos os dias cometo os mesmos "erros", dou cabeçadas nos mesmos muros..Enfim...
Mas acho que sim, que we can.

beijos

IdoMind disse...

Meu querido Amigo

Acho que não fui eu a escrever isto. Foram palavras que os Ecos do tempo me sopraram para nos lembrar que na verdade que o Caminho é o mesmo. Assim como as dificuldades, as provas, as dores.
Porque é que a gente esquece tão rápido aquilo que sabemos que É? Chiça...
Tu, que falas a minha língua, a língua de cada vez mais graças a Deus, é claro que entendeste a o alcance deste texto.
Gosto muito muito muito de ti
beijos

IdoMind disse...

Adriana...tão bom saber-te aí...

Tens razão, está cada vez mais dificil mas também sinto que cada a passo que damos agora percorremos uma distância gigantesca. Maior que nunca. Sinto que tudo está a acontecer mais rápido, como se tivessemos de "crescer" depressa, acordar o quanto antes..
Pode ser impressão minha.

Que a gente não esqueça que viemos para lembrar...e aproveitar...

Beijooooo

IdoMind disse...

Mana,

Escrevi para mim mesma e para todos com o único objectivo de lembrar que não tem se ser doloroso, que não tem de ser sempre da mesma forma, que não há prisões senão as que criámos.Que ninguém é capaz de fazer mal a ninguém. Que nada é mau ou bom em absoluto. Que somos nós que damos a conotação àquilo que não é conotável por si só.
E se não estamos contentes, todos os dias podemos fazer para alterar o estado das coisas. Todos os dias começar de novo.
Eu sei isto. Tu sabes isto. Porquê é que é tão dificil?


beijo

p.s. a morte??!! Outra vez??!! Para quando o SOL?

Fada Moranga disse...

Bela trovadora!
Está rápido mesmo! Estamos todos a ser apertados... Cada vez mais para darmos o nosso melhor sumo. O início da Primavera e lua cheia foram intensos e temos que ser rápidos a lembrar tudo! Temos que arrebitar o nosso Urano, as nossas antenas do Céu! ;-)
Um grande bem haja!
Beijos***deFada

IdoMind disse...

Fada

faço retenção de liquidos, por isso dou o sumo todo se quiserem!
Podes crer, tem sido forte e feio. Urano? Eu sou touro! Gosto pouco de imprevistos. Talvez tenha de me lembrar que vim para tirar gozo deles...
Beijos Fada pasteleira :)

Onda Encantada disse...

tu que de onde te esqueces de onde vens e de onde te esqueces para onde vais... pergunto...por onde passaste?
Talvez ja te tenhas sentado num banco de jardim, é tão dificill inspirar de olhos fechados? quanto dificil é escalar qualquer coisa se à partida nos negamos a tal?

EX: hoje a minha filha mais crescida dizia que não conseguia decorar as linhas que tinha para um teatro a executar (e se são poucas!), só me restou dizer-lhe, a partir do momento em que digas não é não sempre... senão tentares jamais saberás!!!


O Amor está acima de tudo! O.A.M.O.R........ não o que a mente humano decide o que é o amorzinho....


WTF YES WE CAN!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...