março 22, 2010

O Jardim Acorda

Este Inverno foi o mais longo dos Invernos.Trouxe um frio que não conhecia e nada me aqueceu. Assim fiquei, encolhida sobre mim, para que o pouco calor não se perdesse e eu, por fim, esquecesse acerca do mundo que é redondo e dá a cada coisa o seu tempo. Mesmo os Invernos longos não são eternos.

Numa destas manhãs, pareceu-me ouvir um apelo imperceptível que vinha lá de fora. A medo fui-me trazendo até à entrada do ninho onde aninhada aguardei a chegada da que sei que sou. Era a força da vida que cantava, anunciando a promessa dos começos que quisermos começar. Era a força da vida a renovar as minhas forças. Cantavam os pássaros, as árvores e até o mar bradava com a alegria de quem sabe que também a sua solidão estava a acabar. A nostalgia das praias desertas em breve partirá.

Era Primavera. Era isso que estava a acontecer. A despedida das trevas expulsas pela luz. Mais uma vez…

Tive vontade de chorar. Pelo que passou e doeu tanto. Pelo que ainda não passou e continua a doer. Pelas feridas novas que vou arranjar enquanto conduzo o Carro Sagrado. Estou parada com um pé na caverna e o outro no relvado cada vez mais verde. O Sol, ainda príncipe, manda-me tirar a roupa que abafa o brilho. E convida-me ao trabalho. É tempo de plantar. De perder as mãos na Terra semeando em solo rico as sementes do meu amanhã.. É tempo de fazer. De refazer. De desfazer. É tempo de acordar. Sacudir o que foi e preparar o que vai ser.

Sou a jardineira do meu jardim. Esta é a missão. Cuidar do meu pedaço de existência. Como puder. Com o que tiver. Guiada pela sabedoria de todas as outras colheitas. Dos dias de sol e dos dias de chuva, que me levaram a crescer. Dos muitos dias assim assim em que tive de escolher. Das Primaveras que não compreendi senão no Inverno seguinte.
Plante eu com humildade para aceitar que o meu jardim não é o melhor. O maior. O mais bonito. É só um pingo de cor, uma gota de orvalho, a quietude perfeita de uma manhã no cenário infinito da criação. E é lindo, assim humilde, cumprindo a sua parte no Desenho Divino.

Aguarde eu com Fé, os frutos que ainda batalham no ventre da Mãe rumo ao Céu. Não me deixe esta certeza no final feliz. Ainda que não o esperado. Todas as flores são bonitas se nelas procurarmos a sua beleza. E se me perfumarem o caminho, ainda que preferisse rosas, vou agradecer aos malmequeres.

Haja Amor no meu jardim. Na jardineira que dele trata. Nos que por nós passam. Nos que param. Nos corações que namoram com os actos. E com os pensamentos. Reconheça eu o Amor de que tudo é feito e viva assim em Amor comigo e contigo.

IdoMind
About my garden

8 comentários:

Shin Tau disse...

SÊ bem-vinda :)

que assim seja! E será! Parece que o Aeon também te atacou e olha...tenho uma partilha hoje que gostava que visses, ou melhor que ouvisses!

Gosto da novidade de música por aqui também, estarei atenta!

Viva a PrimaVERA que traz o renascer!

Amo-te!

angela disse...

Que bom que esta de volta de seu retiro de inverno.Lindo texto sobre o jardim de cada um de nós.
Boa semana
beijos

IdoMind disse...

Minha Shin

Acabei de vir do Grimoire...E agora vejo que vieste ao jardim...

Não sei o que me atacou, mas senti vontade de vir espreitar o sol. E este jardim já só quase à catanada, coitado.

Voltei e foi bom sentir-me neste pedaço de terreno que compraste para mim.

A tua reflexão da semana é claro mexeu comigo indescritivelmente.Já comentei. Como consegui.

A música...bom, foi um filme! Nem imaginas as voltas que eu dei e os palavrões que quase disse!
Já cá consegui meter o Tricky, agora vamos ver como serão as cenas do próximo capítulo.

Conhecereis a Vera e a Vera vos libertará...bem verdade. Que assim seja ;)

Ai mana...fogo...

Beijos

IdoMind disse...

Angela

Antes de mais quero dizer-te obrigado pelas coisa lindas que me enviaste e eu vi, e que li e que me lembraram da perfeição das coisas. Da vida.
Não tive força para te responder como gostaria e para dizer " gostei muito, é muito bonito, obrigado" preferi não responder porque essa não sou eu.

Hoje posso dizer-te "Obrigado" com todo o meu coração, sobretudo por te lembrares de partilhar a Beleza comigo. Foi muito importante, Obrigado.

Foi bom voltar. May the force be with me para continuar. E contigo para me acompanhares...

Um grande abraço

Viajante disse...

Olá IdoMind

Mesmo com o coração triste consegues passar ao papel perolas de escrita.
Bem-vinda tem faltado um pouco da tua luz

Beijinho grande

O Viajante

Maria de Fátima disse...

Olá Ido, que bom que voltaste de novo ao teu Jardim.Beijocas e tudo de bom nesta Primavera.

IdoMind disse...

Meu Amigo

O coração nunca fica triste muito tempo quando à nossa volta vem o carinho como o teu. Obrigado.
Tenho de me iluminar primeiro...o fósforo ainda está húmido.

Mil beijossss

IdoMind disse...

Doce Fátima

Há quanto tempo! Tentei acertar-te com a almofada mas nunca consegui. Aparecem-me pop ups que não me deixam...Considera-te atingida com uma enorme, fofa, branca almofada de saudades.

Vou ver se consigo ficar por cá a dedicar-me à jardinagem.
Um grande abraço

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...