julho 28, 2009

Manas Catita contra o Apocalipse!

A vontade de trabalhar era pouca. Não podemos esquecer que era segunda-feira (um dia escrevo sobre este dia da semana e porque é tão mal amado).
Facto é que a telha com que tenho andado, atingiu o seu expoente máximo e era quase um telhado. Liguei à mana…que está de férias.
Poucos minutos depois estava a desligar o computador e a caminho de uma tarde, que eu ainda não sabia, mas que suspeitava, seria de loucura.
Almoço, vinho, boa conversa, desconversa, mais vinho e pelas 15 horas já estávamos a duas a rebolar no chão a rir. Literalmente. Não sob o efeito do álcool (bom, talvez um pouco), mas porque quando as nossas energias se encontram é sempre uma grande festa.

Uma vez que no leque das coisas normais da vida, como o companheiro, a casa e o emprego, também os blogs passaram a ocupar uma fatia importante da nossa rotina diária, trocámos impressões sobre os temas que têm andado em discussão, um ou outro comentário, as nossas próprias opiniões e chegámos até a algumas conclusões pertinentes.

Dizia-me a Shin que a Internet está a ser bombardeada com artigos sobre o fim do mundo, o profetizado 2012 que se aproxima a passos largos trazendo o anúncio da morte de muitos e talvez mesmo no nosso planeta azul.
Não sei o que acontecerá e se acontecerá algum tipo de evento catastrófico à escala global na referida data. E sinceramente, não me interessa. Não tenho um vaivém para fugir para um dos anéis de Saturno. A banca não me dá crédito para a construção de um bunker. Na minha casa não há espaço para latas de atum e água engarrafada em quantidades industriais. E não sei se queria ficar sozinha num planeta destruído e despovoado. Não posso fugir. Resta-me, portanto, viver. E viver bem, já que vou morrer dentro de 3 anos…

Constato, mais uma vez, que não passamos de teóricos. À semelhança da beata católica que põe o pé fora da igreja e já está a chamar nomes à vizinha do 2.º esquerdo, também quem se dedica à espiritualidade, na hora da verdade, quando chamados a acreditar e a colocar em prática o conhecimento legado de todos os Mestres, esquecem quem são e de onde vieram.
Conscientes do nosso poder criador, cedemos a visões apocalípticas, enchemos o nosso coração de pânico e alimentamos o medo plantado por alguns homens ( sim eram só homens) e perpetuados por outros até hoje.
Não sabemos nós nada acerca do subconsciente colectivo? Não sabemos nós que somos o que pensamos? Estarei errada em pensar que podemos mudar o curso dos acontecimentos se fizermos um esforço nesse sentido. O passado em que se escravizavam seres humanos, diz-me que sim. O presente, em que milhares ainda morrem à fome, diz-me há trabalho a fazer. As mudanças colectivas têm sido paulatinas mas uma constante.E acontecem quando nos juntamos e queremos melhor, diferente.
Se todos pensarmos que o mundo vai acabar, então o mundo vai mesmo acabar porque é essa a realidade que estamos a criar.
Não é assim que funciona? Andarei eu a ver tudo ao contrário e afinal estamos aqui por acaso ou ao gosto de alguma coisa perversa que nos despejou neste calhau para brincar connosco e faz de nós o que quer, quando quer? Talvez seja assim.
Não é no que acredito.
Que importa se há uma Nova Jerusalém? Temos uma Casa linda, com vista para muitos oceanos e mares, pintada de verde, pulsante de vida. Dá-nos tudo o que precisamos.
Porque não cuidar dela ao invés de inventarmos outra, que inevitavelmente também vamos destruir porque será sempre mais fácil que manter.

O positivo disto tudo? Acreditando que já um novo planeta à nossa espera, estamos a criá-lo e a tal Nova Jerusalém leva mais um tijolo a cada artigo, a cada pensamento, a cada bocado de fé na sua existência.
Vou ter saudades da Terra. Deixo-lhe aqui os meus agradecimentos pelo tecto de estrelas que me deu e as minhas desculpas por ser tão lenta a aprender acerca do cuidado diário com tudo aquilo que nos cerca.
A loucura? Somos nós a desperdiçar a vida que pode ser.
As manas comprometeram-se a cada instante, em cada pessoa, a promover a esperança, a alegria, o amor… talvez os 3 anos que restam passem a 4 ou a 5…quem sabe?
IdoMind
about what I can do

21 comentários:

Shin Tau disse...

Heheheheheh ó IdoMind eu não me comprometi com nada, aliás eu detesto compromissos !!!

Disse apenas que iria dar o meu melhor, sem promessas rkrkrkrkrk

Bem, hoje estás de chicote na mão ou é impressão minha?

Kisses

IdoMind disse...

Shin,

Pois, com os copos diz-se tudo...no dia a seguir é que é pior.

Chicote na mão? Nada disso.Conheço demasiadamente bem o medo para falar dele. Só isso.
Além disso, acredito que os tempos estão a apelar a todos nós, que vemos as coisas de forma diferente, que ajudemos a melhorar isto tudo conforme pudermos.

Não dá mais para fechar os livros, arrumar o tarot, ir dormir a achar que não pudemos fazer nada. Penso eu...

Eu Sou Você disse...

Caríssimas manas catitas,
É isso aí!
Cuidar da Casa com Amor.
O resto é ilusão.

Só diria que... não lutem contra o apocalipse.
Vivam a favor da Vida!
:)

Maria de Fátima disse...

Olá Idomind, eu penso que não vai haver Apocalipse nenhum, lol.Vou viver como até aqui, da melhor maneira que sei e que posso.Quando morrer, morri.Beijocas.

António Rosa, José disse...

Ido Mind

Li com um imenso sorriso. E gostei. Até porque no meu blogue tratei de alguns desses assuntos. E continuarei a tratar. Lamento não ter uma visão tão fresca, como tu. :)

Gostei da tua reacção - sem medo.

.................

«Se todos pensarmos que o mundo vai acabar, então o mundo vai mesmo acabar porque é essa a realidade que estamos a criar. Não é assim que funciona?»

No que diz respeito a este assunto em concreto, não creio que seja assim que funcione. Porque estamos a falar do planeta.

Ou é tudo a mesma coisa.

..........................

Parece estares desanimada.

Abraço.

IdoMind disse...

Minha doce Adriana

que saudades dessa candura. Para variar tens razão, as manas são a favor da vida, sempre.
Foi o que pretendi com este artigo, incentivar a lutar pela vida, pela nossa Mãe a quem temos tratado tão mal. Obrigada por me dares oprtunidade de esclarecer isso.
Cada um acredita no que quiser. Eu prefiro agir com o coração cheio de fé de que posso mudar a minha realidade.
Adriana gosto mesmo de ti

Um beijo com muito amor

IdoMind disse...

Maria de Fátima maravilhosa

é que é isso mesmo, quando morrermos, morremos! E isso é certo. Como vivemos é que é importante.
Um abraço apertado pela tua simplicidade comovente

IdoMind disse...

Querido António

desde que me pus no tinto ando assim - destemida! lol (brincadeirinha!

Eu tenho andado afastada, e sim também desaminada. Vai passar.

Adorei o seu comentário e gostava de saber mais. Talvez seja diferente em relação ao planeta. Acho que ainda estamos no infantário no que ao funcionamento do universo diz respeito.
A terra também tem o seu caminho, não é? O seu Karma. Nessa medida talvez haja pouco que possamos fazer. Não sei.
Na dúvida é como disse, vou recriar a vida verdade todos os dias, espalhando amor e esperança num rumo melhor.

Já lhe tinha respondido no seu post sobre a Nova Jerusalem que é simplesmente lindo.
Está num registo completamente diferente daquele que menciono aqui.
É uma reflexão profunda e um convite a pensar em possibilidades...

Um beijo muito grande

António Rosa, José disse...

Esqueci-me, Ido Mind:

a foto está uma delícia.

beijo

Marise Catrine disse...

Manas Catita (hihihihahahohohohhihihihihi).
Essa é boa. E que bem escolhido. Reralmente estão muito catitas as duas.
Lembrei-me que se falava que o mundo ía acabar no ano 2000... Enfim, estou nessa de acreditar na vida.

Beijos

HAZEL disse...

Agora é que reparei: os teus comentários estão por cima dos posts. O comentário que fiz para este post, foi parar ao de baixo. LOL

I'm sorry pela distracção.

Depois venho ver a resposta, mais tarde.

Beijinhos!

jfrank disse...

Olá Manas Catita!

Obrigado pela vossa energia e sinergia! A propósito do texto da IdoMind lembrem-se que Confúcio disse um dia...

"Para quê preocuparmo-nos com a morte? A vida tem tantos problemas que temos de resolver primeiro."

Continuem como são e assim o demonstram na vossa foto... i.e., risonhas, felizes e parceiras! Porque a vida, sem personagens como Vós, fica mais pobre, menos apetecível e mais triste...

É sempre melhor acender uma vela do que amaldiçoar a escuridão!!!!

JFrank

Onda Encantada disse...

IdoMind,

Que texto tão lucido!

Sinceramente também penso exactamente da mesma forma.

É na alegria e no Amor que elevamos (ou pelo menos tentamos) :) a nossa mãe Gaia que tanto precisa de nós.

Partilho contigo uma conversa que tive esta semana com um colega de trabalho. Dizia ele de uma forma espantada "tu sabias que se os insectos fossem extintos da terra a vida acabava, mas que se os humanos fossem extintos isso não acontecia?"
Escangalhei-me a rir, e respondi: "Pelo contrário! Se os humanos fossem extintos da terra, ainda havia de haver um boom de vida maior!"

E assim é! ;)

Bom post, foto catita :)

Grata por partilha tão interessante e positiva.

Abraço sorridente

Onda Encantada

IdoMind disse...

Minha Brise,

estamos sempre a inventar fins catastróficos não é? Que raio de necessidade de ter medo...
Vamos viver meu doce.
Manas Catitas é claro que só têm amigas catitas, como tu!
Um abraço apertadinho

IdoMind disse...

Viva Canalizador dos Corações,

Que comentário tão bonito...
O que escrevi é no que acredito: há sempre alternativa, há sempre tempo para mudar, há sempre outra possibilidade.Depende de nós, pelo menos tentarmos.

Acredito no lado positivo das questões e acredito em soluções.
Fiquei imensamente feliz em ver que não estou sozinha e nem todos se votaram a fatalismos paralisantes.
Vamos viver!Agora e com alegria.E depois morrer com a barriga cheia do cheiro a mar, da pele macia dos bébés, das gargalhadas dos nossos amigos.Só assim valeu a pena.

Eu levo também a barriga cheia do amor pela minha irmã e da cumplicidade, que esta foto conseguiu eternizar.

Um beijo Dr.poeta

IdoMind disse...

Onda Encantada

que presença boa deixaste no Jardim.

Temos sido mesmo uns inconcientes para com a nossa generosa Mãe.Concordo contigo, se não fossem os Homens ainda havia florestas inteiras, animais de espécies que já nem nos lembramos e sem dúvida que se respirava melhor ar.
Mas ensinou-nos o planeta (espero)que somos responsáveis por tudo e por todos.
Fiquei baralhada com aquela dos insectos, é que eu conheço muita melga que adorava que fosse extinta...lol
Um beijinho

Fada Moranga disse...

Ricas manas! Parecem duas bonecas, catitas! :-)

Este tema já fez correr tanta tinta... tanto disparate... tanto folclore... Eu estou com a Mimi!

Beijos***deFada às manas!

IdoMind disse...

Fada,

pode crer, a questão acaba por ser essa, de todas as vezes que se fala, se escreve e se acredita estamos a tornar real esses folcolores...

Vamos é espalhar esses beiinhos de fada por todo o lado e em vez de medo dar vida ao amor.

Se a Mimi pensa assim, também com ela.

beijinhos

Viajante disse...

Olá IdoMind

Pois eu não podia deixar passar em claro esta questão sem botar palavra.
Como já tive oportunidade de dizer nós enquanto seres de luz somos imortais portanto os que irão mudar de plano viram de novo mais capacitados.
Depois todas as civilizações dizem que a era que se aproxima é a era da luz, portanto bem melhor do que esta em que temos vivido
Está mudança está a acontecer de forma mais acentuada há cerca desde há vinte anos e vai continuar para além de 2012.
Tem havido alterações magnéticas no planeta que irão tornar a vida difícil para alguns de nós.
Quanto ao facto de muita gente ir morrer lembro que durante o século XX só provocadas por situações de guerra morreram em média cerca de dois milhões de pessoas por ano
Quanto ao nosso planeta não acredito que seja necessário sair dele.
Dizem algumas tradições que o primeiro ciclo terminou com fogo, o segundo com gelo e o terceiro com água. O quarto deverá ser com ar. Talvez o sol nos pregue alguma partida, já que 2012 é um ponto de actividade máxima do sol.
Claro que o nascimento tal como o crescimento implicam algumas dores, temos de ter coragem e sobretudo esperança para enfrentarmos o que o Universo tem para nós, aliás
é isso que fazemos todos os dias.

Beijos

O Viajante

IdoMind disse...

Querido Viajante

É a vida em acção: nascer, transformar, morrer, voltar a nascer. Como era no príncipio, agora e sempre...
Acredito que também o planeta cumpre estes ciclos. Se calhar os crimes ecológicos dos último século aceleraram o processo. Talvez...Mas o que relevante, para mim, é: e o que fazer em relação ao actual estado das coisas? Que me importa se isto tudo vai acabar em 3, em 30 ou 300 anos? Pergunto-me é, como quero vivê-los.
Acho que concluiste muito bem meu amigo "temos de ter coragem e sobretudo esperança para enfrentarmos o que o Universo tem para nós, aliás
é isso que fazemos todos os dias."
É isto.
Mil beijinhos para ti e para a senhora de sorriso bonito : )

IdoMind disse...

Querido Viajante

É a vida em acção: nascer, transformar, morrer, voltar a nascer. Como era no príncipio, agora e sempre...
Acredito que também o planeta cumpre estes ciclos. Se calhar os crimes ecológicos dos último século aceleraram o processo. Talvez...Mas o que relevante, para mim, é: e o que fazer em relação ao actual estado das coisas? Que me importa se isto tudo vai acabar em 3, em 30 ou 300 anos? Pergunto-me é, como quero vivê-los.
Acho que concluiste muito bem meu amigo "temos de ter coragem e sobretudo esperança para enfrentarmos o que o Universo tem para nós, aliás
é isso que fazemos todos os dias."
É isto.
Mil beijinhos para ti e para a senhora de sorriso bonito : )

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...