julho 29, 2009

A puxar ao sentimento

"Numa aldeia vietnamita, um orfanato dirigido por um grupo de missionários foi atingido por um bombardeamento. Os missionários e duas crianças tiveram morte imediata e as restantes ficaram gravemente feridas. Entre elas, uma menina de oito anos, considerada em pior estado. Era necessário chamar ajuda por um rádio e, ao fim de algum tempo, um médico e uma enfermeira da Marinha dos EUA chegaram ao local.
Teriam que agir rapidamente, senão a menina morreria, devido aos traumatismos e à perda de sangue. Era urgente fazer uma transfusão, mas como?

Reuniram as crianças e, entre gesticulações, arranhadas no idioma, tentavam explicar o que se estava a passar e que precisariam de um voluntário para doar sangue. Depois de um silêncio sepulcral, viu-se um braço magrinho levantar-se timidamente. Era um menino chamado Heng.

Ele foi preparado às pressas, ao lado da menina agonizante, e espetaram-lhe uma agulha na veia. Ele mantinha-se quietinho e com o olhar fixo no tecto. Passado algum momento, deixou escapar um soluço e tapou o rosto com a mão que estava livre. O médico perguntou-lhe se estava a doer, e ele disse que não, mas não demorou muito a soluçar de novo, contendo as lágrimas. O médico ficou preocupado e voltou-lhe a perguntar e novamente o menino negou. Os soluços ocasionais deram lugar a um choro silencioso, mas ininterrupto. Era evidente que alguma coisa estava errada.

Foi então que apareceu uma enfermeira vietnamita de outra aldeia. O médico pediu-lhe que ela procurasse saber o que se estava a passar com Heng. Com voz meiga e doce, a enfermeira foi conversando com ele e explicando-lhe algumas coisas. E o rostinho do menino foi se aliviando. Minutos depois ele estava novamente tranquilo.

A enfermeira então explicou aos americanos:
- Ele pensou que ia morrer, não tinha entendido o que vocês lhe disseram e pensava que iria dar todo o seu sangue para a menina não morrer.
O médico aproximou-se dele e, com a ajuda da enfermeira, perguntou:
- Mas, se era assim, porque se ofereceu para dar sangue?

E o menino respondeu, simplesmente:
- Porque ela é minha amiga..."

Li este relato há alguns anos atrás, não me lembro onde, e tocou-me de tal modo que o guardei.

Nestes tempos em que o egóismo dança descontrolado em tantos corações, dando voz a afirmações perigosas como " já não há amigos, tenho é muitos conhecidos", "não podemos confiar em ninguém, temos de contar é connosco" " primeiro eu, depois eu, a seguir eu e então..." e outras similires que vão abrindo a fossa, cada vez maior, entre nós e os outros, apeteceu-me partilhar a pureza do doce Heng.

Sinto-me menos pequena cada vez que leio esta história porque vivo num sítio onde há quem dê todo o seu sangue para que um amigo viva.

O relato dizia ser verídico.

Resta-me acrescentar:
Quando conseguirmos dar todo o nosso sangue por alguém,

Quando conseguirmos, apesar da dor, manter o braço esticado,

Quando conseguirmos nos rostos do mundo ver o nosso amigo,

Quando finalmente nos lembrarmos que nós somos todos


Virá a paz...

IdoMind

about all the gardeners aroud the world












13 comentários:

Maria de Fátima disse...

Olá IdoMind, lindo!Beijocas.

IdoMind disse...

Querida Fátima
lindo era praticarmos estes ensinamentos...lol
um beijo

Marise Catrine disse...

Ohhh doce IdoMind,

Que belo ensinamento!
De facto cada vez as pessoas se fecham mais num casulo de solidão e egoísmo.
Esta história devia passsar no noticiário. ;)

Beijocas

IdoMind disse...

Querida Brise

Podes crer. Se mais gente soubesse que há hengs por aí podia ser que começassem a partir as armaduras que vestiram e pusessem os braços de fora...

beijos minha 2.ª marise favorita

Eu Sou Você disse...

Que beleza, não?

Viajante disse...

Olá IdoMind

Quando um dia tomarmos consciência de que a humanidade é um todo orgânico e que sempre que fazemos mal a alguém estamos a fazer mal a nós próprios então haverão muitos braços esticados não só para dar sangue mas sobretudo para abraçar.

Um abraço para ti

O Viajante

Patricia Lopes disse...

Apesar de haver toneladas de "pedra" para partir, até que a consciência de que somos todos um seja verdadeiramente sentida com o Coração, cabe a cada um de nós fazer "com que OS NOSSOS braços se estiquem" todos os dias, seja por "ela" ser nossa amiga... ou não! O Amor não julga.

Obrigada IdoMind.
Um abraço,
Patricia

António Rosa, José disse...

IdoMind

Domingo é um dia bonito para doar selos. Tem 2 à sua espera no meu blogue 'Cova do Urso'. Se os quiser recolher ou apenas aquele que mais gostar, o endereço é este:

http://cova-do-urso.blogspot.com/2009/08/selos-e-premios.html

Abraço

António

IdoMind disse...

Doce Adriana,

tu é que és uma beleza...
Beijinhos

IdoMind disse...

Meu amigo Viajado ; )

outro abraço para ti, com os braços bem esticados.

IdoMind disse...

Minha Patrícia linda,

Sim, antes de esperarmos o que quer que seja, tem de haver em nós, no nosso coração, essa vontade de esticar o braço.
Cada um de nós marca a diferença.
Procuro ter isso presente, às vezes consigo, outras vezes nem por isso, mas tento cuidar do meu canteiro com todo o meu amor.
Sei que tembém cuidas do teu.
A Shin também. O António.A Marise A Adriana. O Viajante. A Mimi. A Fada...e tantas pessoas maravilhosas que se mostram verdaeiros jardineiros da vida. Ainda há esperança.
Um grande abraço amiga

IdoMind disse...

Querido António,

obrigada pelos presentes e sobretudo obrigada pelo empenho bonito na jardinagem da blogesfera. Continua a construir pontes e a semear o contacto humano sem o contacto físico. isto é magia. isto é amor.
Merece não um selo, mas uma medalha...
muitos beijinhos

Shin Tau disse...

Estou chorando!!!! Sabes bem que as amizades que sempre tive foram assim, eu dava o meu sangue por elas.

Com as dores provocadas por uma imaturidade de doação aos outros, fui-me fechando e fechando e fechando e fechando...

Graças a Deus (pura forma de falar, pois foi graças a mim e aos outros), percebi isso e hoje posso dizer que dou novamente o meu sangue por qualquer um, seja meu amigo ou apenas um conhecido (há diferenças).

As minhas actuais amizades são construidas numa Beleza de partilha de amor como não tinha há muito tempo!

Sabes que mesmo nos momentos mais difíceis eu daria tudo por ti, não sabes? Eu sei que tu farias o mesmo!

Love ya!!

Kisses

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...