maio 06, 2011

Profundidade ou só Idade?

Tudo espremido sobra o sabor. O gosto que fica depois da prova. O sorriso que se abre ao lembrar ou a cabeça que se esconde entre as mãos a jeito de se querer esquecer. A vista sobre o pomar fecundo que cresce para lá da cerca ou a maça caída na terra a morrer sozinha. No fim disto tudo fica o que deixamos… O legado é dado em vida e nele se encontra, ou se perde, a nossa imortalidade.
É agora que estamos a fazer a nossa história. Depende de nós registá-la em vários volumes ou resumi-la na inscrição simples duma pedra tumular. 


Deve ser porque gosto de escrever, mas quando me ponho a pensar no fim, que pode vir inesperadamente amanhã, imagino o resumo desta minha vida espalhado em diários arquivados numa fila de prateleiras infindável. Vejo-me sentada no chão a ler os capítulos escritos pelos que se cruzaram comigo. Tento adivinhar a narração que fariam do encontro imediato de terceiro grau, aqui com a jardineira. O que pensaram, o que sentiram. Que diferença fiz. Que gosto deixei…

Não ando com ideias estranhas, só com muita consciência do que é realmente importante. A qualidade dos nossos dias é definida por nós. E só por nós. Esta é a verdade. A que nos custa a aceitar porque isso de ser diferente e sair por aí a fazer impossíveis por nós e pelos outros é coisa de super-heróis. Identificamos-nos melhor com o cidadão anónimo e desprotegido à mercê de um vilão qualquer. Disfarçado num chefe qualquer. Numa mulher ou marido qualquer. Num azar. Pode ser mais fácil acreditar que O poder está fora de nós, não necessariamente menos doloroso.

Celebrei o meu aniversário ontem e parece que tive uma ameaça de epifania. 
As mensagens de parabéns vieram de todas as maneiras. Até por correio! Normal, aquele que ainda leva selo. Amigos de longa data e outros mais dentro do prazo, clientes que não vejo há anos e clientes que vejo mais que aos meus pais, pessoas a quem compro coisas (como a senhora que tem o melhor pão de Mafra do mundo!) tiraram minutos do seu tempo para me dizer “ Lembrei-me de ti”. E com carinho.

No fim do dia, já deitada, dei por mim a concluir “Nós somos aquela parte que também fica a fazer parte dos outros.
A parte que quero dar é a melhor. A mais compreensiva. A mais solidária. A mais madura. A que pensa no que está por detrás das acções e das coisas que nos fogem da língua, antes de agir. Ou de reagir. Que faz perguntas a si própria e procura entender antes de julgar. A que está lá por amor. Por nenhuma outra razão. A parte de mim que entrego é, seja a que for, a verdadeira.
Farei HOJE para que, tudo espremido, sobre sempre uma gargalhada ou a alegria por ter deixado esta Parte na Vossa parte…
IdoMind
About my writing

9 comentários:

Marcia Toito disse...

aplauso,moça!! de pé! OUVES???

Maria Paula Ribeiro disse...

Ido,

Minha linda, que não fiques com a mais pequena dúvida de não dares a melhor parte....

Adorei a profundidade do texto...soberbo como a tua alma! ;)

Escreveste gargalhada???? Isso é cá comigo e faço-o para ti com todo agrado!!!!

Sabes o que te digo? É maravilhoso ter essa tua parte dentro de mim ;)))
Bem-hajas Amiga e continue sempre assim!

Beijo bandarrino!;)

Estrela.Dourada disse...

Cada vez que penso em ti associo indiscutivelmente à citação: "Quem passa por nós não vai só e não nos deixa só, deixa um pouco de si e leva um pouco de nós".O teu precurso seguiu tão pouco tempo ao meu lado, mas as marcas positivas ficaram...Beijos

Rosa Araújo disse...

Tb procuro dar sempre a melhor parte de mim, mas será que o consigo em todos os momentos?!...Todos nascemos como um diamante em bruto, que com o tempo e com a parte dos outros que nos vão tocando, vamos lapidando...

Festejamos o aniversário no mesmo dia... :)

Feliz novo ano de retorno solar e boas energias! Bjs

IdoMind disse...

Desculpem!!!!
Só agora é que vi as vossas gotas! De vez em quando o blogger passa-se!

IdoMind disse...

Márcia

:))) Esse apoio..Oiço. Sempre.
Um grande grande abraço

IdoMind disse...

Minha brilhante Maria Paula

A resposta para ti é simples: tu és o Exemplo...
Não dizes só, fazes! E fazes tão bem...
Tenho seguido o trabalho com admiração e orgulho. Não é à toa que te chamo guerreira...

Obrigado também tu por partilhares a tua parte mágica comigo :)

Um abraço tão apertado de fazer saltar os olhos!

gosto buéeeee de ti

IdoMind disse...

estrela dourada,

Achas que o meu percurso ao teu lado foi curto???? Chiça, kilometros e kilometros! LOL LOL

E quem te disse que acabou? Conto estar contigo um destes dias...

Um beijão e também tu deixaste as tuas boas marcas :)

IdoMind disse...

Rosa

parabéns!!! lol
Vão um pouco atrasados, mas são sentidos...

É verdade, nós somos o que deixamos que façam de nós, como já escrevi no jardim. O nosso trabalho é cortar as ervas daninhas do nosso coração e da nossa cabeça e tratar das flores para que nos embelezem e perfumem a alma...shiiiii vê-se logo que é sexta! O nosso dia ;)

Um beijinho e gostei de a ter no meu cantinho

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...